WHAT'S NEW?
Loading...

Leilão do setor elétrico no Brasil vai gerar 8.782 empregos com previsão de investir R$ 4.18 bilhões

Resultado de imagem para Leilão do setor elétrico

Os 12 lotes do setor elétrico colocados à disposição dos grupos privados nesta quinta-feira (19), em São Paulo, foram arrematados com deságio médio recorde de 60,30%, o maior da história dos leilões promovidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Ao todo, são 17 linhas de transmissão e 16 subestações de energia. As obras serão distribuídas por 12 estados: Acre, Pará, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul.

“O setor de energia como um todo e, particularmente, o setor elétrico está terminando o ano com chave de ouro. Eu diria que o Brasil está terminado o ano em excelentes condições e o resultado desse leilão, de certa forma, demonstra isso”, avaliou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que participou do leilão na capital paulista.

De acordo com a Aneel, os investimentos previstos são de R$ 4.18 bilhões e os empregos gerados devem chegar a 8.782 postos de trabalho no decorrer das obras. Cada lote leiloado nesta quinta-feira poderá ser explorado pela incitava privada por um período de 30 anos, sendo calculada uma receita máxima de retorno permitida por ano para cada grupo vencedor na exploração do serviço.

A expectativa é que com as obras haja aumento da carga que passa pelas linhas de transmissão e o desligamento de usinas térmicas [que têm alto custo de manutenção e poluem mais o meio ambiente], além de trazer mais robustez ao sistema elétrico. “Com o evento aqui realizado hoje, nós aumentamos a confiabilidade e a disponibilidade de energia no sistema nacional, nas residências, nos comércios e nas indústrias do país”, apontou o diretor-geral da Aneel, André Pepitone.

Segundo ele,  o setor elétrico atrai cada vez mais investimentos no país. “O leilão realizado aqui em São Paulo confirma, ou seja, ratifica, o grande interesse da iniciativa privada em investir em uma oportunidade no setor elétrico brasileiro e revela o apetite e a confiança dos grupos estrangeiros no Brasil. O setor elétrico brasileiro se consolida como uma rota de investimento nacional e internacional”, afirmou.

Ao todo 38 empresas disputaram os lotes, entre elas companhias com participação societária na Colômbia, no Canadá, em Portugal, na Espanha e na China.

A maior vencedora do leilão foi a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica de São Paulo (CTEEP), que arrematou três dos 12 lotes ofertados no leilão. O diretor técnico da companhia, responsável pelas áreas de operação e manutenção, Carlos Ribeiro, disse que as aquisições decorrem da confiança que o grupo tem no Brasil.

“Nós estamos realmente num ciclo virtuoso, com um crescimento que vai realmente voltar a acontecer no Brasil, um crescimento importante, que nós precisamos”, afirmou. E completou. “Nós vivemos num ambiente em que a estabilidade regulatória, a estabilidade jurídica, nos dão uma condição de vir aqui e colocarmos a nossa posição, as nossas ofertas de uma forma muito consciente, de uma forma muito bem planejada”, defendeu.