WHAT'S NEW?
Loading...

Com a presença de Bolsonaro, estaleiro realiza integração do segundo submarino Scorpène brasileiro

Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí

O Complexo Naval de Itaguaí teve um importante marco do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), a integração das seções do SBR-2, resultado da exitosa parceria estratégica entre o Brasil e a França, para construção de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear.
Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí
A cerimônia ocorreu, conforme o site Defesa Aérea & Naval, no Main Hall do Estaleiro de Construção (ESC), que faz parte do Complexo Naval de Itaguaí no Rio de Janeiro, uma gigantesca instalação militar da Marinha do Brasil, projetada e construída para abrigar a Força de Submarinos, localizada estrategicamente no litoral sul do Estado do Rio de Janeiro e a mais moderna da América do Sul.

Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí
A cerimônia de integração do segundo submarino da classe Scorpène, de projeto da francesa Naval Group, foi presidida pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, e contou ainda com a presenças do Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, do Ministro da Defesa, Gen. Fernando Azevedo e Silva, do Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Junior, do Ministro Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Gen. Augusto Heleno, do Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, do Ministro da Economia, Paulo Guedes, do Ministro de Minas e Energia, Alte. Bento Albuquerque, do Chefe do Estado Maior da Armada, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth, do Diretor Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen e do Presidente da Itaguaí Construções Navais, André Portalis. Também prestigiaram o evento ex-Ministros e ex-Comandantes da Marinha, além de diversas autoridades civis e militares.

Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí
“A integração final das seções do Humaitá, além de efetivar uma operação de elevada sofisticação tecnológica, reitera o êxito de um complexo processo de absorção de tecnologia e conhecimento de valor estratégico”, disse o AE Ilques, que também destacou a importância do submarino para a indústria de Defesa nacional, ressaltando que “O Humaitá possui a seção de tubos de torpedos integralmente fabricada no País”.
Já o Ministro da Defesa, Gen. Fernando Azevedo, destacou a relevância do programa para o Brasil, como sendo “ importante destacar que o PROSUB não se limita à construção de submarinos, mas transcende esse escopo contemplando a construção de um complexo industrial e de apoio com estaleiros, uma base naval e uma unidade de fabricação de estruturas metálicas, o que já vem trazendo grande desenvolvimento socioeconômico ao município de Itaguaí, ao estado do Rio de Janeiro e ao nosso País”.

Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí
“Mais que investimento essa é a garantia da nossa liberdade e da nossa soberania”, disse o Presidente Jair Bolsonaro, que antes da cerimônia, fez uma rápida visita ao Submarino Riachuelo (S 40), primeiro da Classe lançado ao mar em Dezembro do ano passado e que iniciou recentemente seus testes de mar.
Após acionar a alavanca que deu início à união das seções, o Presidente Jair Bolsonaro destacou o fato do Humaitá ter sido construído no Brasil. “Hoje não seria muito dizermos: Dê ao povo brasileiro meios, e liberdade, que ele elevará o Brasil. A prova material disso está aqui à minha frente do lado direito, trabalho do povo brasileiro, do mais gabaritado engenheiro ao mais humilde trabalhador”.
Resultado de imagem para bolsonaro Complexo Naval de Itaguaí
Logo após encerrada a cerimônia, o Presidente Bolsonaro se dirigiu aos funcionários da ICN, sendo recebido calorosamente por todos e aproveitou para cumprimentar e tirar fotos com parte da equipe responsável pela construção do Submarino Humaitá.
A integração do Submarino Humaitá ocorrida neste dia 11 de outubro, representa também um importante avanço para a engenharia brasileira, assim como para os setores da indústria naval e de defesa, que em um futuro próximo, alcançará o ponto alto do projeto, a construção do Submarino Álvaro Alberto, o nosso primeiro submarino de propulsão nuclear e que vai nos colocar no seleto grupo de Países que possuem essa capacidade.
Segundo o cronograma da Marinha, o Humaitá (S 41) tem previsão de ser lançado ao mar em 2020, seguido do Tonelero (S 42) em 2021 e do Angostura (S 43) em 2022.