WHAT'S NEW?
Loading...

Petrobras rescinde contrato com escritório de presidente da OAB

Resultado de imagem para Petrobras rescinde contrato com escritório de presidente da OAB

Petrobras enviou nesta terça (6), ao escritório de advocacia do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, uma carta em que comunica que está rescindindo o contrato que mantinha com ele para causas trabalhistas. São informações da Folha de S.Paulo.

“Há claramente uma perseguição política em curso”, diz o advogado, que adiantou que vai entrar na Justiça com uma ação para reparação de danos.

No ano passado, o escritório de Santa Cruz ganhou uma causa estimada em R$ 5 bilhões que seriam pagos como horas-extras atrasadas a funcionários embarcados nas plataformas de petróleo da estatal.

O julgamento, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), foi apertado: 6 votos a favor e 5 contrários. “Era uma ação rescisória, algo como ressuscitar alguém que morreu. Eu salvei a empresa na causa trabalhista mais grave que ela já enfrentou”, afirma Santa Cruz.

Queda de braço

A medida dá continuidade à queda de braço entre o governo Bolsonaro e a Ordem. No último dia 29 de julho, ao condenar a postura da instituição na investigação do caso de Adélio Bispo, autor do atentado à faca durante a campanha eleitoral, o presidente disse que poderia explicar ao presidente do órgão, Felipe Santa Cruz, as circunstâncias da morte do pai dele, Fernando Augusto Santa Cruz de Oliveira, desaparecido durante a ditadura militar.

“Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados [de Adélio]? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB? Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto para ele. Ele não vai querer ouvir a verdade”, disse o presidente.

Logo depois Bolsonaro disse, durante live no Facebook, Santa Cruz, está “equivocado” quanto à morte de seu pai e alegou que ele não foi morto pelos militares, como defende o advogado.

Morto pelo próprio grupo

Enquanto cortava o cabelo durante a transmissão ao vivo, o chefe do Executivo federal sustentou que foi o próprio grupo de militantes antiditadura militar do qual Fernando Santa Cruz fazia parte em Recife, a Ação Popular Marxista-Leninista, que teria executado o pai do hoje presidente nacional da OAB.

Felipe Santa Cruz decidiu interpelar Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito das declarações dadas.