WHAT'S NEW?
Loading...

Desenvolvimento do setor de petróleo e gás no estado de SP é debatido em eveno no IE


O Instituto de Engenharia (IE) realizou nesta última segunda-feira (26) o workshop “Como o Estado de São Paulo pode colaborar para o desenvolvimento da indústria de Petróleo e Gás”. O evento teve o apoio do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente e a participação de representantes de grandes empresas do setor, como Shell, Petrobras, Equinor, Total, Petrogal Brasil, RepsolSinopec, Saipem, OneSubsea além de entidades, como Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP).

O evento teve como objetivo dar as boas-vindas do Estado às diversas operadoras e concessionárias de exploração e produção de petróleo e gás da Bacia de Santos além de conhecer seus planos de investimentos e necessidades para ampliação de suas operações na Baixada Santista. Um dos pontos destacados foi que com o desenvolvimento da produção de petróleo e gás, o Brasil tem potencial para ser o 4º maior explorador de petróleo e gás do mundo ficando atrás somente dos Estados Unidos, Rússia e Arábia Saudita, de acordo com o secretário executivo de gás natural do Instituto Brasileiro de Petróleo, Luiz Costamilan.

Para o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, neste momento, o Brasil tem uma disputa com o mundo para ter uma produção maior e mais eficiente.

“Temos aqui uma grande oportunidade com a Bacia de Santos e o pré-sal de gerar emprego e desenvolvimento para o nosso País. Não podemos perder esta chance e temos que ter consciência para utilizar o tempo a nosso favor, pois o petróleo pode ser usado neste momento, mas não sabemos no futuro. Isso mostra que São Paulo está aberto e este é o momento para crescermos”, disse Penido.

Já o presidente do IE, Eduardo Lafraia, acha que esse setor tem força para ser uma grande alavanca da economia nacional e o Instituto quer ser um ponto focal dessas discussões.

“Ficamos muito felizes com esse primeiro encontro e já projetamos o próximo que focará em gás. Foi mostrado que o potencial de exploração da bacia de Santos é enorme e vai trazer um retorno importante e fundamental para a economia tanto do Estado de São Paulo, como do Brasil”, afirmou Lafraia.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen da Silva, destacou os investimentos recebidos nesse ano no Estado de São Paulo.

“Temos um poder muito grande e que já foi demonstrado com eficiência nestes sete meses de 2019. O governador João Doria reuniu um grupo de secretários bem técnicos, pois neste período, olhando nossos números, os dados e fatos são positivos. As carteiras de investimentos levantadas pela InvestSP são de R$ 14 bilhões e, com os dados da Piesp, o valor salta para R$ 75 bilhões, crescimento de 20 bilhões em relação ao mesmo período do ano passado”, explicou Patrícia.

O evento teve três painéis, sendo o primeiro uma mesa-redonda com a visão das operadoras, os planos de desenvolvimento delas para a Bacia de Santos e os gargalos de infraestrutura do local. Já o segundo abordou a infraestrutura de apoio existente e a convergência da indústria de petróleo & gás e, por último, os temas de Pesquisa e Desenvolvimento com foco nos desafios tecnológicos associados as competências das universidades foram abordados por representantes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual Paulista (Unesp).