WHAT'S NEW?
Loading...

EMPREGOS: Método Potencial Engenharia avança para atuar no descomissionamento de plataformas

Resultado de imagem para descomissionamento de plataformas

Segundo a ANP, quase metade das plataformas de exploração de petróleo já tem idade para deixar de operar nos próximos anos. Desmobilização é complexa e envolve riscos, inclusive sob o aspecto ambiental

Das 158 plataformas de exploração de petróleo offshore operacionais que o Brasil possui, 42% estão em operação há mais de 25 anos, a maior parte localizada nas bacias de Santos e do Nordeste, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Como o tempo de operação é um dos critérios adotados pela ANP para considerar o descomissionamento de uma plataforma, a Petrobras, que já anunciou sua intenção de desmobilizar oito delas até 2021, enviou ao mercado dois Request For Information (RFI) para ouvir empresas nacionais e estrangeiras sobre sua experiência em como elaborar, gerenciar e executar projetos de descomissionamento.

Para responder a essa demanda, a Método Potencial Engenharia, uma das empresas mais destacadas e reconhecidas do setor de engenharia, conta com o apoio de parceiros nacionais e internacionais para aprofundar sua expertise no setor de Óleo e Gás. Isso porque o descomissionamento de plataformas é uma atividade complexa, tanto do ponto de vista ambiental quanto técnico, e para a qual poucas empresas dominam na totalidade essa cadeia de valor.

O gerente de Orçamentos e Propostas da Método, Edson Siqueira, explica que o processo de descomissionamento envolve atividades que vão desde a elaboração de estudos de impacto ambiental e obtenção das licenças necessárias, passando pela desmontagem, transporte e destinação dos equipamentos removidos da plataforma, até a elaboração, execução e acompanhamento dos planos de recuperação da vida marinha nas áreas de extração que foram desativadas. “Para cada uma dessas etapas, identificamos o parceiro mais adequado para complementar nossa oferta para gestão e execução desse tipo de projeto.”

No descomissionamento de uma plataforma, acrescenta o gerente, questões como segurança, meio ambiente, gestão e disposição de resíduos são tão relevantes quanto as que envolveram as etapas de construção e operação da plataforma. “Por isso, é de extrema importância contarmos com parceiros que nos apoiem na estruturação de soluções tecnicamente inovadoras e de excelência, que caracterizam os projetos em que a Método atua”, completa Siqueira.

Sobre a Método Potencial Engenharia 


Fundada em 1973, a Método Potencial Engenharia conta com 2.700 colaboradores e, em seus 46 anos de atuação deixou um legado importante de realizações, com milhares de obras e projetos em todo o Brasil. Em 2009, adquiriu a Potencial Engenharia, especializada em Óleo & Gás e, em 2014 consolidou a união das duas empresas.

A companhia atua em diversos setores por meio de suas três divisões de negócios: Construção Civil, Fast Construction e Industrial, atuando em projetos de grande complexidade.

A Método conta com mais de 1.000 projetos bem-sucedidos na área de construção civil, incluindo empreendimentos corporativos, edifícios residenciais, hotéis, shoppings centers, empreendimentos logísticos, complexos de entretenimento, de educação e cultura. Na divisão Industrial, foram mais de 400 contratos bem-sucedidos nos setores de energia, Óleo & Gás, indústria de transformação, portos e infraestrutura. A divisão Fast contabilizou no último ano cerca de 1.800 obras, 1.560 projetos legais, 980 projetos de instalação, 3.800 projetos de arquitetura e 7.200 laudos técnicos.

Entre os projetos icônicos e de destaque estão o Theatro Municipal de São Paulo, o Complexo Ohtake Cultural, o SESC Pompéia, o Shopping Cidade São Paulo e o Market Place; os hotéis Grand Hyatt de São Paulo e Rio de Janeiro; o hotel Unique; os edifícios corporativos Rochaverá Corporate Towers, Infinity Towers e Ventura Towers; o residencial Condominium Club Ibirapuera e o parque aquático Wet'in Wild, do qual também é sócia.

Baseada em um forte compromisso com a ética, compliance e sustentabilidade, a Método foi a primeira empresa Brasileira a participar do United States Green Building Council. É membro fundadora do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável e conta com um dos maiores portfólios de projetos certificados no País. Em 2015, foi agraciada com o Prêmio Ética nos Negócios, concedido pelo Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios. Ao longo de sua história foi eleita cinco vezes a Melhor Empresa da Indústria da Construção no Guia Maiores e Melhores da Revista Exame, sendo na quinta vez premiada como Empresa do Ano.