WHAT'S NEW?
Loading...

Sul do Brasil recebe investimentos de R$ 1,2 bilhão em transmissão de energia elétrica

Resultado de imagem para obra EDP Transmissão

A EDP Transmissão Aliança SC – constituída pelas empresas EDP (Energias do Brasil) e Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) – é responsável pela instalação de linhas de transmissão de energia elétrica em um trajeto de 484,5 km de extensão que percorrerão 28 municípios da região sul e extremo sul de Santa Catarina.

A obra está orçada em R$ 1,265 bilhão e inclui ainda a construção de uma segunda subestação no município de Siderópolis, além de melhorias e adaptações em outras subestações que integram o
trajeto. O empreendimento compõe o Lote 21 do Leilão de Concessão nº 05/16, realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Para o início das atividades, a EDP informa que cumpriu as etapas para o licenciamento ambiental, incluindo as audiências públicas com a participação dos representantes e população dos municípios da área de influência das obras. Além de apresentação do projeto para instituições governamentais do estado.

Com a emissão parcial da Licença de Instalação (LI) pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA), foram iniciadas as primeiras fases de implantação.

A primeira etapa consiste no início da construção de uma nova subestação de energia elétrica no município de Siderópolis (SC). Essa fase, em particular, envolve a geração de 190 postos
de trabalho diretos, e mais 100 indiretos na região, de acordo com a concessionária.

Outra etapa que está sendo realizada é a implantação do trecho de linha de transmissão entre as subestações de Biguaçu e Siderópolis

2. Em Biguaçu, as atividades se concentram em topografia, supressão da vegetação, construção e montagem das torres. Já em Siderópolis 2, as instalações estão em fase de terraplanagem.

Segundo o presidente da EDP Transmissão Aliança, Luiz Otavio Henriques, “trata-se de um investimento que vai proporcionar ao estado de Santa Catarina uma importante expansão na atual infraestrutura energética, necessária para o Estado desenvolver seu potencial econômico”, afirma Henriques.

Segundo a empresa, a nova subestação de Siderópolis, por exemplo, vai permitir desafogar a demanda atual sobre a subestação local e, assim, diminuir a dependência da subestação de Forquilhinha.

A EDP Transmissão Aliança SC é uma concessionária de serviço público de energia elétrica constituída em 2017 por meio de uma sociedade de propósito especí co formada por duas empresas do setor elétrico brasileiro: a EDP Brasil e a Celesc Geração.

Recursos da EDP em tecnologia podem chegar a R$ 640 MI


A EDP Brasil e USP avançam nos trabalhos do primeiro laboratório especializado em testes com redes elétricas inteligentes da América Latina. Inaugurado em 2017 e localizado no Centro de Estudos em Regulação e Qualidade de Energia (ENERQ), no campus da universidade, em São Paulo (SP), o espaço funciona como um ambiente para a realização de pesquisas nas áreas de Qualidade do Fornecimento de Energia e Smart Grids, auxiliando no aperfeiçoamento e na modernização do sistema de distribuição no País.

Com esses estudos está sendo possível aplicar diversas funcionalidades em campo, tais como o self-healing, que consiste no controle remoto de equipamentos da rede elétrica, capazes de religar a
energia automaticamente, diminuindo o impacto de ocorrências aos clientes.

Um outro projeto em andamento é o Analytics, envolvendo vários estudos, como processamento de big data para análise de fraude; utilização de IoT (internet das coisas) com inteligência embarcada para monitorar o motorista identificando sinais de fadiga e processamento de imagem para realizar a leitura do medidor.

Cidades Inteligentes 


Os projetos da EDP têm o objetivo central de desenvolver no país as chamadas cidades inteligentes.

Apesar de ser um conceito relativamente recente, as cidades inteligentes já se consolidaram como assunto fundamental na discussão sobre desenvolvimento urbano sustentável. O mercado de
soluções tecnológicas para Smart Cities movimenta negócios globais que são estimados em US$ 408 bilhões até 2020, segundo estudo do Department for Business Innovation and Skills (BIS), da
Inglaterra.

De acordo com pesquisa do Parlamento Europeu, na busca por soluções ao desafio do crescimento sustentável, mais da metade das cidades europeias acima de 100.000 habitantes já possuem ou
estão implementando iniciativas de Smart City.

Para isso, a companhia conta no Brasil ainda com o InovCity, iniciativa que tem como objetivo testar tecnologias que viabilizem a criação de uma cidade energeticamente mais eficiente. O projeto
teve início em Aparecida (SP) e, desde 2015, vem sendo replicado em dois municípios do Espírito Santo (Domingos Martins e Marechal Floriano, na região serrana do Estado).

Em Aparecida, cerca de 19 mil unidades consumidoras foram atendidas em seis vertentes de desenvolvimento tecnológico, com foco na sustentabilidade: medição inteligente; eficiência energética e mobilidade elétrica (carros elétricos).

Em Aparecida, a EDP promove ainda o incentivo ao uso de veículos elétricos, instalando cinco postos nos quais é possível recarregas as baterias. Os postos são autossuficientes, com geração própria de energia a partir de placas solares.

A empresa desenvolve também ensaios de geração distribuída renovável, com foco no desenvolvimento de soluções que permitam aos utilizadores de produtos de microgeração ampliar os seus benefícios. Com o lançamento da EDP Solar em 2016, o foco da empresa no segmento de geração distribuída se intensifica. Agora a companhia planeja um projeto de smart grid com escala
maior, que prevê a implantação de mais de um milhão de medidores inteligentes no país até 2022. Uma nova rede de comunicação própria e sistemas de sensoriamento, monitoramento, automação avançada e cybersecurity.

Os projetos pilotos no Brasil, em Aparecida, Domingos Martins e Marechal Floriano receberam o investimento de R$ 20 milhões, além de R$ 8 milhões para a construção do primeiro laboratório de redes inteligentes da América Latina com a USP. Para os próximos anos a empresa estima um grande salto de investimento, que pode chegar a R$ 640 milhões até 2022.