WHAT'S NEW?
Loading...

Projetos de investimentos em SP somam R$ 33 bilhões

Resultado de imagem para Projetos obras investimentos são paulo

 Após o lançamento do projeto dos 11 Polos de Desenvolvimento Econômico (*) pelo governo do Estado de São Paulo, na semana passada, a InvestSP - Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, realizou um levantamento do potencial de investimentos que o programa poderia atrair para o Estado. De acordo com o levantamento, este potencial seria de R$ 33,5 bilhões.

“Dos 11 polos apresentados, 9 já possuem projetos em negociação com a InvestSP e tendem a ganhar celeridade a partir do anúncio do governo. No total, são 79 projetos que já estão sendo negociados junto à agência paulista, com potencial para gerar quase 30 mil empregos diretos em São Paulo”, diz o comunicado da Agência.

Do potencial de R$ 33,5 bilhões em aportes, o segmento de tecnologia é o que mais tem despertado o interesse do setor privado, informa a InvestSP. Existem 9 projetos de investimento em andamento, com potencial para injetar no Estado de SP pouco mais de R$ 10 bilhões e gerar quase 10 mil empregos. Em segundo lugar aparece o setor de derivados de petróleo e petroquímico, com 3 projetos sendo negociados e potencial de R$ 9,2 bilhões em investimentos.

Wilson Mello Neto, presidente da InvestSP, afirma que ainda é cedo para dizer se todo volume de recursos será efetivamente realizado, mas que qualquer percentual deste montante significaria uma quantidade expressiva de dinheiro e de empregos gerados dentro do Estado. “Mas, para não ficar em cima do muro, dado o cenário econômico atual, acredito que R$ 10 bilhões possam ser anunciados até o fim deste ano. Se algumas reformas importantes caminharem, esse número pode ser ainda maior”.

(*) Os 11 Polos de Desenvolvimento Econômico que constam do projeto do Governo do Estado são: saúde e farma; metal-metalúrgico, máquinas e equipamentos; automotivo; químico, borracha e plástico; derivados do petróleo e petroquímico; biocombustíveis; alimentos e bebidas; têxtil, vestuário e acessórios; couro e calçados; tecnologia e ecoflorestal.