WHAT'S NEW?
Loading...

Complexo hidrelétrico no Paraná já modernizou 3 unidades geradoras


Prossegue segundo publicou a revista O Empreiteiro, a modernização do complexo hidrelétrico Jupiá-Ilha Solteira, no rio Paraná, entre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Eduardo Perrotti, gerente de Engenharia da concessionária CTG Brasil, informa que três unidades geradoras já foram totalmente modernizadas.

O projeto de modernização das usinas Jupiá e Ilha Solteira contempla a reforma das 34 unidades geradoras das duas usinas, a automação das operações e a construção de um novo Centro de
Operação da Geração (COG), além de melhorias nos serviços auxiliares, equipamentos de içamento e vertedouros.

Usina Ilha Solteira, no rio Paraná, passa por melhorias

É o maior projeto de modernização de hidrelétricas em andamento no Brasil, segundo a CTG. Inovadora e de alta complexidade, a primeira fase, considerada um projeto-piloto, contempla a reforma de quatro unidades geradoras, sendo duas em Jupiá e duas em Ilha Solteira, além de equipamentos de levantamento e sistemas auxiliares.

“Três dessas unidades, sendo duas na Usina Ilha Solteira e uma em Jupiá, já voltaram à operação totalmente modernizadas e estão gerando energia para o Sistema Interligado Nacional”, diz o executivo.

“Agora, estamos focados em concluir o trabalho de modernização da outra unidade geradora que faz parte dessa fase na Usina Jupiá”.

Foram investidos R$ 300 milhões apenas na primeira fase do projeto. A segunda fase, na qual a CTG Brasil vai investir mais de R$ 700 milhões, iniciou em abril, com o descomissionamento da
unidade geradora nº 10 da Usina Jupiá e a modernização de equipamentos de levantamento.

“Antes disto, outras ações já haviam sido iniciadas, como a parte de engenharia, a definição de parceiros e fornecedores, a montagem do canteiro de obras, entre outras. Nessa etapa, serão modernizadas oito unidades geradoras, sendo quatro em cada usina”, explica Eduardo.

O projeto, que conta um investimento total de R$ 3 bilhões, deve durar entre oito e dez anos, pois segundo as normas do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) só se pode parar duas
máquinas por vez para serem reformadas, informa a CTG.

“Tecnologicamente, a modernização contempla a troca dos sistemas analógicos utilizados na operação por sistemas digitais. Deixaremos as operações no estado da arte em termos de automação,
sistemas de supervisão e controle das máquinas, trazendo maior agilidade na retomada do sistema em caso de falha e perda, e maior confiabilidade para atendimento ao sistema brasileiro”, afirma
o gerente de engenharia.

Já a criação do novo Centro de Operação da Geração (COG), que ficará localizado na Usina Ilha Solteira, permitirá a operação integrada de todas as usinas da CTG Brasil.

EMPRESAS ENVOLVIDAS NO PROJETO DE MODERNIZAÇÃO DO COMPLEXO HIDRELÉTRICO JUPIÁ-ILHA SOLTEIRA

Engenharia: Voith, General Electric, Harbin Electric, WEG e Sepco1
Instalações hidráulicas e elétricas: Voith e Power Construction Corporation
Montagem industrial: Voith, General Electric, Harbin Electric, WEG e Sepco1

OUTRAS USINAS DO GRUPO

Ao longo de 2018, foram modernizadas também duas unidades geradoras da Usina Capivara, no rio Paranapanema, que englobou a substituição das turbinas hidráulicas. As novas turbinas instaladas produzem mais energia com menor consumo de água, o que traz melhor rendimento, de acordo com a concessionária. Neste caso, a modernização deve trazer aumento da capacidade, mas a CTG Brasil ainda aguarda a homologação dos órgãos reguladores.

A empresa também fez investimentos nas operações de Salto (SP-PR) e Garibaldi (SC) com o intuito de padronizar os processos de automação, com a implantação de uma hotline entre o Centro de Operação de Geração (COG), em Jupiá, com o ONS. Para esse serviço o aporte foi de R$ 8 milhões e as obras foram realizadas durante paradas normais de manutenção, sem afetar a disponibilidade das usinas.

Em 2019, está previsto o início da construção do novo Centro de Operação de Geração (COG), que deve integrar a operação das usinas da CTG Brasil, com um investimento estimado de R$ 40 milhões, incluídos nos R$ 700 milhões orçados para a fase 2 do projeto de modernização das usinas Jupiá e Ilha Solteira.