WHAT'S NEW?
Loading...

Shell mantém interesse em expandir presença no Brasil, diz presidente

Resultado de imagem para Shell  Brasil

O presidente global da Shell afirmou que mantém interesse em expandir a sua presença no Brasil.

Para o presidente da Shell, Ben van Beurden, as agendas apresentadas pelo governo de Jair Bolsonaro irão beneficiar o setor.

Durante uma teleconferência com investidores, o executivo disse que “provavelmente teríamos apetite para assumir um pouco mais de risco no Brasil, se a oportunidade se apresentasse”, afirmou o Beurden. Na prática, a Shell já vem aumentando os seus negócios no País. A companhia adquiriu nove áreas exploratórias com foco no pré-sal nas bacias de Campos e Santos. Além disso, comprou áreas na Bacia Potiguar.

Águas profundas 

A Shell Brasil iniciará ainda neste ano uma pesquisa sobre o ecossistema em águas profundas. O estudo será realizado em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade de São Paulo (USP). As duas instituições se dividiram em duas expedições na costa sudeste do País.

Na pesquisa, a Shell disponibilizará uma embarcação com equipamentos de alta tecnologia. Entre eles está um veículo de operação remota. De acordo com a Shell Brasil, o objetivo é reduzir o impacto da exploração do petróleo no meio ambiente. “Tornar nossas operações mais seguras e garantir a preservação da vida marinha sempre foram questões fundamentais para a Shell Brasil.

Agora, com esse projeto, poderemos ir além, ajudando toda a indústria na compreensão desse ecossistema tão específico e pouco acessível, garantindo que ele seja conservado”, informou em nota a gerente geral de Tecnologias de Subsuperfície da Shell Brasil, Aly Brandenburg.

A companhia é uma das maiores produtoras privadas de petróleo no Brasil. Além disso, a empresa é parceira nas explorações da Petrobras. Em novembro, só nos reservatórios Lula e Sapinhoá, os dois maiores campos produtores do País, a Shell produziu 1,1 milhão de barris de petróleo por dia, metade da produção total de 2,5 milhões de barris diários registrados no último boletim de produção da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).