WHAT'S NEW?
Loading...

Emplacamentos de veículos pesados avançam 58% em janeiro

Resultado de imagem para Emplacamentos de veículos pesados

Assim como o segmento de veículos leves registrou crescimento das vendas em janeiro, o setor de pesados também começou o ano com desempenho positivo: no primeiro mês de 2019, os emplacamentos de caminhões e ônibus superaram as 9 mil unidades, aumento de 58,4% sobre igual mês do ano passado, quando o mercado consumiu 5,7 mil unidades. Os dados foram divulgados na última terça-feira (5) pela Fenabrave, entidade que reúne os concessionários.

Por causa da sazonalidade, o volume de janeiro foi 5,3% menor que o de dezembro, embora somente os caminhões tenham registrado queda de 8,8%, para 6,9 mil unidades, na passagem de um mês para outro. Enquanto isso, as vendas de ônibus subiram 8,4% na mesma base de comparação, ao atingir as 2,1 mil unidades.

O efeito sazonal também foi o motivo para a queda da média diária das vendas de pesados, cujo resultado de janeiro foi 18% menor que o de dezembro. Com 19 dias úteis, foram emplacados 502 veículos em dezembro, enquanto janeiro fechou com 411 unidades em cada um dos 22 dias úteis.

“Ainda que sobre uma base muito baixa [de comparação], o segmento pesado consolidou seu crescimento”, disse o vice-presidente da Fenabrave para caminhões, ônibus e implementos, Sérgio Zonta.

Este início de ano também foi marcado pela maior venda dos modelos pesados, ainda fortemente impulsionados pelo agronegócio. Além disso, a maior facilidade para obtenção de crédito continuam elevando os volumes do segmento. Segundo Zonta, os níveis de financiamento devem continuar em alta este ano, especialmente pela oferta do CDC (crédito direto ao consumidor), que ficou mais desde o início do ano passado em comparação ao Finame, linha de financiamento para bens de capital do BNDES. Em termos de taxa, enquanto o Finame está em 1,14% a.m. com taxa variável, o CDC é negociado a 0,99% a.m. com taxa fixa e menor burocracia para a documentação.

“Em um passado não muito distante, o Finame já respondeu por 80% dos financiamentos de caminhões, mas fechou 2018 com participação de 50%. Temos ouvido de bancos de montadoras que em janeiro o CDC já está um pouco acima dos 50% e em 2019 a modalidade com certeza vai superar o Finame”, explica Zonta.

O executivo comenta ainda sobre o aumento de 47% do número de empresas interessadas em adquirir sua frota própria, a maioria com atividades no agronegócio, a fim de escapar da dependência de frotistas e autônomos atrelados à tabela de frete. O movimento começou a ser observado após a greve dos caminhoneiros, no fim de maio do ano passado.

Somados os fatores, a Fenabrave prevê que as vendas de caminhões neste ano devem crescer 15,4%, conforme projeção de mercado divulgado no início de janeiro, para um total de 88,2 mil unidades. Para o segmento de ônibus, os concessionários esperam volume 17,9% maior, para 22,5 mil unidades.