WHAT'S NEW?
Loading...

FCA pode estar próxima de acordo para venda da Magneti Marelli

Imagem relacionada

A FCA Fiat Chrysler pode estar se aproximando de um acordo para vender a Magneti Marelli para a Calsonic Kansei depois que a empresa aumentou sua oferta, de acordo com informações de pessoas a par das negociações e que pediram para não serem identificadas. Segundo informações passadas à da agência de notícias Automotive News, a Calsonic, fornecedora do setor automotivo e que pertence à empresa japonesa de private equity KKR & Co., e a FCA chegaram a um acordo provisório sobre preço e podem anunciar um acordo ainda este mês. Elas disseram que as companhias estão avaliando a transação no valor de € 5,5 bilhões (US$ 6,3 bilhões), incluindo dívidas. O co-presidente da KKR, Joseph Bae, faz parte da diretoria da Exor, holding da família Agnelli e controladora dos grupos FCA, CNH Industrial e Ferrari.

A transação pode excluir pequenas partes dos negócios da Marelli, como a unidade que produz painéis de plástico e para-choques, disseram as fontes. O grupo também pode manter sua unidade de iluminação LED, que está relacionada ao desenvolvimento da condução autônoma, informou o jornal italiano Corriere della Sera.

No mês passado, pessoas que têm conhecimento das negociações disseram que a FCA estava buscando ofertas que valorizassem a Marelli em € 6 bilhões ou mais. Nenhuma decisão final foi tomada sobre o preço ou prazo para um acordo, o que denota que as negociações ainda podem desmoronar se os dois lados não concordarem com os detalhes das propostas, disseram as fontes.

Segundo a Automotive News, uma combinação dos dois fabricantes de autopeças criaria um negócio com mais de US$ 17 bilhões em receita anual e cerca de 65 mil trabalhadores de Tóquio a Milão. As negociações começaram há alguns meses sob o comando do ex-CEO Sergio Marchionne, que faleceu em julho. A FCA rejeitou uma oferta no mês passado, já que os dois lados estavam divididos sobre o preço em cerca de € 1 bilhão.

A KKR anunciou neste ano mais de US$ 200 bilhões em aquisições, 60% a mais do que os investimentos feitos em 2017.

Antes de iniciar negociações com a KKR, a FCA colocou em campo o interesse de outros potenciais compradores, incluindo a Apollo Global Management, uma fornecedora asiática de peças, e a Bain Capital.