WHAT'S NEW?
Loading...

Portuários da Codesa realizam greve de 48 horas por reposição salarial

Resultado de imagem para Portuários da Codesa realizam greve de 48 horas por reposição salarial

Trabalhadores da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), empresa pública que administra o importante Porto de Vitória, estão em greve por 48 horas. O movimento teve início às 7 horas de terça-feira, 18 de setembro, e tem previsão para ser encerrado no mesmo horário de quinta-feira (20). A greve foi determinada pelas seguintes entidades: Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES), Sindicato da Guarda Portuária (Sindguapor-ES) e Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários (Aquasind).
As operações nos portos públicos administrados pela Companhia estão paralisadas pois não há amarradores disponíveis para o trabalho. Conforme informações da assessoria de comunicação da Codesa, duas embarcações estão retidas sem possibilidade de desatracação. Apenas os terminais arrendados funcionam normalmente.

De acordo com a representação dos sindicatos, a atitude foi tomada para reivindicar a reposição de perdas salariais, conforme as cláusulas econômicas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Essa é a única cláusula pendente no ACT 2017-2019, que já está assinado.

A direção da Codesa, representada pelo diretor-presidente em exercício Guilherme Fernandes Magalhães, publicou em seu site oficial a contraproposta feita pela empresa ao termo aditivo de acordo coletivo com a categoria. O texto ressalta que o acordo permitirá ganhos na relação de trabalho e permite aos portuários "olhar para frente com a certeza de que com trabalho conjunto encontraremos o suporte econômico para ganhos cada vez maiores".

A contraproposta oferece reajuste salarial de 2% a ser aplicado ao salário base vigente em maio de 2017, retroativo a 31 de dezembro do último ano, e de mais 1% a ser aplicado ao salário base de maio de 2018, retroativo ao mês de junho, ambos com reflexos nas demais cláusulas sociais e econômicas do ACT 2017-2019.

A decisão de greve foi tomada em assembleia da categoria no último dia 31 de agosto e os portuários estão em estado de greve desde o dia 18 de junho.

Por Bruno Merlin