WHAT'S NEW?
Loading...

Brasil e Portugal fecham acordo inédito para indústria

Resultado de imagem para Brasil e Portugal  indústria 4.0

O Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Guto Ferreira, se reuniu hoje com o Diretor de Atendimento e Digital da Agência para o Desenvolvimento e Comércio Externo de Portugal (Aicep), Eduardo Henriques, em Lisboa. Foram discutidas ações conjuntas as quais ambas as agências podem desenvolver, cada uma em seu país, para o desenvolvimento do setor produtivo. Guto Ferreira apresentou ao dirigente português os principais resultados do Programa Nacional Conexão Startup-Indústria, coordenado pela ABDI.

Segundo Guto, na primeira fase foram selecionadas 27 startups para atuação no programa e, apesar de o edital dizer que apenas 10 delas avançariam para a próxima etapa do programa, 24 permanecem em contato com as indústrias “clientes”. “Temos certeza que o programa é um sucesso absoluto. Estamos adensando o nível de inovação nas indústrias e proporcionando às startups a oportunidade de criar soluções para grandes empresas como 3M, BRF, Natura e Embraer, para citar algumas delas”, disse Guto. “Já estamos trabalhando na segunda edição do programa e em breve vamos anunciar novidades”.

A reunião contou ainda com a participação do Relações Institucionais e de Mercados Externos da Aicep, Fernando Quintas, da Gerente de Desenvolvimento Tecnológico da ABDI, Cyntia Araújo Nascimento, do coordenador da Area Internacional da ABDI, Leonardo Reisman, e da analista da ABDI Isabela Gaya.

Perfil — A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) surgiu no momento de retomada das políticas públicas de incentivo à indústria, em 2004, e se legitimou com órgão articulador dos diversos atores envolvidos na execução da política industrial brasileira. Em mais de uma década de atuação, sob a supervisão do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a ABDI é a agência de inteligência do governo federal para o setor produtivo e oferece à indústria completa estrutura para a construção de agendas de ações setoriais e para os avanços no ambiente institucional, regulatório e de inovação no Brasil, por meio da produção de estudos conjunturais, estratégicos e tecnológicos.