WHAT'S NEW?
Loading...

Gestão Alckmin interdita usina de asfalto da Prefeitura de São Paulo

Resultado de imagem para Gestão Alckmin interdita usina de asfalto da Prefeitura de São Paulo

Uma usina de asfalto da Prefeitura de São Paulo, que funciona na Barra Funda, na zona oeste da cidade, foi interditada no início do mês por supostas irregularidades. O local também foi multado em cerca de R$ 51 mil.

Segundo a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), ligada ao governo Geraldo Alckmin (PSDB), a licença de operação da usina expirou em dezembro de 2017, e a gestão João Doria (PSDB) não fez o pedido de renovação. Além disso, o órgão afirma que o local estava emitindo forte odor, perceptível fora dos limites da propriedade.

Edvaldo Godoy, presidente da Associação de Moradores e Amigos da Barra Funda, diz que o fechamento da usina é uma briga antiga das pessoas que vivem na região.

"É ultrapassado demais que tenhamos uma usina poluidora no centro de São Paulo, ao lado de creches, casas, mercado e do fórum. É um transtorno o odor e o pó que a gente aspira. O móvel que é limpado de manhã, está coberto de pó preto à tarde. Imagina isso no pulmão", diz.

A interdição é temporária e deve durar o tempo necessário para a prefeitura atender às exigências da Cetesb, que são a renovação da licença de operação e a instalação de equipamentos para controle dos odores gerados no processo de produção de massa asfáltica.

A prefeitura afirmou em nota que, ao contrário do que afirma a companhia, já foi solicitada a renovação da licença de funcionamento, e que aguarda orientações do órgão para a continuidade do processo, assim como para resolver a emissão de substâncias odoríferas.

"Uma série de medidas têm sido adotadas para diminuir o impacto da usina na vizinhança e cumprir o Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, tais como a implantação e troca periódica dos filtros, a adaptação aos limites sonoros estabelecidos, regularizações administrativas, entre outras", afirmou ainda na nota.

Segundo a prefeitura, a usina opera exclusivamente para o programa tapa-buraco e seu funcionamento é permitido no local desde a publicação da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo, de 2016. A Secretaria das Prefeituras Regionais, no entanto, estuda áreas na cidade e custos para transferir a fábrica da Barra Funda.

De acordo com a Cetesb, desde 1990, a usina recebeu 11 autos de advertência, 25 autos de multas e oito de multas diárias.