WHAT'S NEW?
Loading...

Maragogipe na Bahia, o fechamento do Estaleiro virou uma tragédia: 148 assassinatos

 Carla Ornelas/ GOVBA

Mararogipe, cidade histórica do Recôncavo baiano, viu hotéis fecharem, a arrecadação municipal despencar em mais de R$ 5 milhões por mês, programas sociais serem suprimidos e a miséria voltar com toda força após o fim das obras do Estaleiro Enseada do Paraguaçu, que pretendia construir plataformas para a exploração de petróleo em águas profundas, o pré-sal, parado até hoje em conseqüência da Lava Jato, que travou a empreiteiras Odebrecht.

Agora vem a parte mais pesada da conta. Além de fazer de São Roque um povoado fantasma, o fechamento do Estaleiro fez muito mais mal a Maragogipe do que a perda de dinheiro: o número de assassinatos de jovens entre 2013 e agosto deste ano sobe a estrondosos 148.

Lá se diz que a guerra de duas facções do tráfico de drogas, a Catiara e a BDN, roubou a cena. São as duas que mandam no pedaço, com direito a ditar quem vive e quem morre.

A cidade está apavorada.