WHAT'S NEW?
Loading...

GNV pode ser opção

Resultado de imagem para GNV pode ser opção

Dados da CEG, distribuidora de gás natural no Rio, apontam que o número de conversões em veículos para o GNV no estado ultrapassou a marca de 25 mil veículos no primeiro semestre de 2017. Para a companhia, a economia média do combustível ante a gasolina e etanol atinge 64%, razão que justifica a atração da população pelo recurso. Outro atrativo da conversão, no momento atual, é o desconto d 62,5% no IPVA de 2018.

Até o fim deste ano, com relação ao acumulado até setembro, a CEG espera um aumento de 72% no número de conversões, isto no Rio. Em todo o Brasil, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran, com dados de junho de 2017), já existem 1,9 milhão de veículos convertidos a GNV, dos quais 1,1 milhão estão no Rio de Janeiro.

Econômico e menos poluente

O principal benefício para quem opta pela escolha, segundo a companhia, é a economia. Uma simulação da empresa mostra que com R$ 50 abastecidos de GNV é possível percorrer 320 km, uma economia de 66% ante gasolina e etanol, que alcançariam as marcas de 120 e 110 km, respectivamente. O gás natural veicular também é menos poluente que os demais.

Existem alguns tipos de kit GNV. Além dos kits convencionais, o mercado já está comercializando os chamados kits de 5ª geração, que são considerados mais seguros, passam por duas vistorias anuais e um teste de cilindro a cada cinco anos. Estes ainda são mais compactos e ocupam menos espaço na mala do veículo.

Escolha oficina credenciada

O consumidor deve escolher uma oficina devidamente credenciada pelo Inmetro para a instalação do kit. Uma alternativa segura é buscar uma oficina com o selo ‘Oficina 10’, projeto realizado em parceria com o Centro de Tecnologias do Gás (CTGÁS), da Petrobras e Senai, com o objetivo de reconhecer e certificar as convertedoras do Estado do Rio de acordo com critérios de segurança e qualidade em instalação de kits GNV. Estas empresas foram aprovadas dentro dos requisitos exigidos para instalar kits de 5ª geração.

Por fim, a convertedora deve assegurar: baixo índice de emissão de poluentes, menor perda de potência do veículo, além de melhor aproveitamento no espaço do porta-malas ou caçamba do veículo.

Acidentes são uma raridade

Segundo a ABNT, o GNV é considerado mais seguro do que qualquer combustível líquido. Mais leve que o ar e armazenado nos veículos em cilindros sob alta pressão, não oferece risco de explosão, até porque o sistema é dotado de válvulas de segurança que se fecham caso haja algum rompimento na tubulação. Por isso, os acidentes são muito raros e atribuídos ao uso de equipamentos inadequados.

O GNV pode ser usado como combustível alternativo em qualquer veículo movido a gasolina ou álcool, com carburador ou injeção eletrônica. Seu conceito de segurança é reconhecido também fora do Brasil.

Estimativas da Associação Internacional de Veículos a Gás Natural apontam que, até 2020, 80% da frota mundial (65 milhões de veículos) serão movidos a GNV.