WHAT'S NEW?
Loading...

Parceria com ExxonMobil é algo que temos que valorizar, afirma Parente


O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse que a parceria com a ExxonMobil no arremate de blocos na Bacia de Campos (RJ), durante a 14ª Rodada de Licitação de Blocos Exploratórios da Agência Nacional do Petróleo (ANP), realizado na última quarta-feira (27) no Rio de Janeiro é um costume “usual e regulado internacionalmente”, e algo a ser valorizado. Ele deu as declarações após o fim do leilão.

Ao ser questionado se a Exxon poderia “carregar” a estatal nos investimentos nas áreas arrematadas na 14ª Rodada, Parente afirmou que “não há nada negociado”.

Parente disse que a decisão da companhia de entrar como operadora nas áreas arrematadas na Bacia de Campos foi tomada em conjunto com a parceira. “Não existe possibilidade de imposições quando se constrói uma parceria. Uma parceria com uma empresa do porte e qualidade da Exxon tem que levar os prós e contras e as conveniências dos dois lados”, afirmou.

Na avaliação de Parente, a experiência da Petrobras no offshore brasileiro “naturalmente contou” na decisão da Exxon de se aliar à estatal. “Nas conversas com o parceiro chegou-se à conclusão de que nesse momento o mais adequado seria a Petrobras ser operadora”, afirmou.

O presidente da Petrobras disse também que o “conjunto de medidas do governo para melhorar o quadro regulatório e estimular investimentos” contribuiu para a decisão da companhia de investir na aquisição de blocos. “Não só pela mudança no conteúdo local, mas por todo o conjunto”, afirmou.

Segundo ele, a posição da companhia no leilão não surpreende, porque está exatamente de acordo com aquilo” que a empresa tem comunicado sobre a seletividade da participação e necessidade de se deter em “excelentes blocos para exploração e produção”, de maneira a manter “em níveis adequados” a relação entre reserva e produção.

A ExxonMobil, por sua vez, informou, em comunicado, que está “ansiosa” para “trabalhar com o governo brasileiro e parceiros” a fim de desenvolver exploração nos blocos arrematados no certame. “A ExxonMobil tem uma longa história com o Brasil. Estamos aqui há mais de cem anos (desde 1912) e com muita disposição para escrever mais um capítulo desta rica história”, afirmou a companhia.

A Exxon adquiriu hoje dez blocos exploratórios, sendo quatro como operadora nas bacias de Campos e de Sergipe-Alagoas; e mais seis concessões, como sócia da Petrobras, na Bacia de Campos (RJ).