WHAT'S NEW?
Loading...

Empresa inaugura fábrica de correias transportadoras no Pará

Resultado de imagem para Correias Mercúrio inaugura fábrica de correias transportadoras no Pará

A Correias Mercúrio, fabricante paulista de correias transportadoras para segmentos como mineração, inaugurou no início de outubro uma nova fábrica no Distrito Industrial de Marabá, localizado na região sudeste do Pará. A empresa investiu R$100 milhões na instalação do empreendimento.

A indústria, que já funciona há um ano, tem destaque no mercado brasileiro na fabricação de correias, com 72 anos de fundação, criada em Jundiaí, SP.

Imagem relacionadaSegundo Ivan Ciruellos, presidente da Mercúrio em Marabá, a empresa fez um investimento de R$ 100 milhões.

Trata-se da primeira fábrica de correias transportadoras do norte do Brasil, e, devido à alta demanda, funciona em três turnos para atender a mais de 40 segmentos da indústria nesta região e no nordeste do país.

A formação de mão de obra é local e foi treinada em parceria com o Senai – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, no curso de tecnologia de borracha e hoje gera 200 empregos diretos e indiretos.

No momento, está em fase de implantação e testes uma unidade de preparo de compostos de borracha, que deve gerar mais 120 postos de trabalho.

“O principal atrativo para que a indústria investisse no Pará foi o potencial de desenvolvimento desta região, sobretudo pelo ciclo ainda muito voltado para a extração mineral”, diz Ciruellos.

Sobre o composto de borracha, ele disse que não estava previsto na planta original, mas vai trazer ainda mais empregos, investimentos, qualificação e garantir aos clientes a entrega dos produtos no prazo acordado, porque a Mercúrio não vai ter de trazer esse composto preparado no sul e no sudeste do país.

Segundo Cristina Kawall, conselheira e acionista da Correias Mercúrio, o maior segmento que hoje compra deles é o mineral, sobretudo com a cadeia de minério de ferro, com uma demanda de 65%.

“O faturamento previsto é de R$ 80 milhões por ano, representando um recolhimento de ICMS entre R$ 8 milhões e R$ 10 milhões anualmente”, conclui Cristina.