WHAT'S NEW?
Loading...

Um gigante lançado ao mar

Resultado de imagem para gas shell Prelude


Matéria publicada na última sexta-feira (8) pelo jornal americano Financial Times observa que levou oito semanas para o maior navio de produção de gás do mundo ser transportado por rebocadores de um estaleiro sul-coreano até um local a quase 500 quilômetros da costa norte da Austrália, onde foi atracado no mês passado.

Resultado de imagem para gas shell PreludeNos próximos 25 anos, este Goliath de casco vermelho – com comprimento de quatro campos de futebol e nove vezes o peso do novo porta-aviões do Reino Unido quando totalmente carregado – irá colher gás de poços submarinos e convertê-lo em gás natural liquefeito super-resfriado. Os petroleiros visitarão o navio uma vez por semana para descarregar o GNL para exportação.

O projeto do navio Prelúdio foi US $ 14 bilhões, liderado pela Royal Dutch Shell, é o último em um aumento da nova capacidade de GNL que promete reformar o setor de petróleo e gás – e com isso, os mercados de energia que eles atendem. O desenvolvimento de GNL da Wheatstone da Chevron na Austrália está agora no meio de um investimento de US $ 88 bilhões. ExxonMobil, BP, Total e Eni também assumiram grandes compromissos.

Os suplementos de GNL estão em curso para aumentar em 50% entre 2014 e 2021. Isso implica a abertura de um novo “trem” de GNL – as instalações que condensam gás em líquido para permitir que ele seja transportado longas distâncias por navio a três meses. Spencer Dale, economista-chefe da BP, chama essa taxa de crescimento “bastante surpreendente”.

As empresas que antes tratavam o gás como a pobre relação com o “ouro preto” agora estão apostando que a mercadoria incolor pode ajudar a garantir seu futuro em um mundo descarbonatador. Dos 16 novos projetos de BP em curso entre este ano e 2021, 12 envolvem gás em vez de petróleo.

Mudanças semelhantes estão em andamento em toda a indústria. O gás supera por um fator de dois por um entre os recursos de pré-desenvolvimento que aguardam decisões de investimento, de acordo com Wood Mackenzie, a consultoria em energia.

A aposta no gás permanece em grande parte na capacidade do setor de se esvaziar do sistema energético global e competir com o aumento da energia eólica e solar.