WHAT'S NEW?
Loading...

Petrobras completa 60 anos de atuação no Espírito Santo

A Petrobras celebra este mês 60 anos de atividades no Espírito Santo. Capítulos importantes da história da companhia foram escritos no estado. O primeiro poço marítimo da empresa no Brasil foi perfurado, em 1968, na região de São Mateus.

Em 2008, o Espírito Santo foi palco de outro momento marcante: teve início a produção na camada pré-sal aconteceu no campo de Jubarte, em águas capixabas.

As operações da companhia no Espírito Santo são bastante diversificadas. Produzimos vários tipos de petróleo, tanto em terra quanto no mar, e processamos o gás natural, importante para o abastecimento de indústrias, veículos e residências. Três terminais marítimos, geridos pela Transpetro, estão instalados no estado, assim como uma extensa malha de dutos pelos quais é escoada a produção.

Produção em terra e mar 

Atualmente, as operações de exploração e produção no estado respondem por aproximadamente 15% da produção de óleo e gás da companhia no país.

Resultado de imagem para São Mateus petrobras espírito santoA produção onshore (em terra) conta com aproximadamente 300 poços produtores de óleo e gás, localizados nos municípios de Conceição da Barra, São Mateus, Jaguaré e Linhares. Há ocorrência de diversos tipos de hidrocarbonetos, desde gás até óleos extrapesados, permitindo a aplicação de tecnologias que podem ter abrangência para outros campos de terra e no mar.

No mar, as operações da Petrobras no estado acontecem na Bacia do Espírito Santo e na porção norte da Bacia de Campos (Parque das Baleias). A produção da Bacia do Espírito Santo é realizada por meio de uma plataforma fixa em Peroá e um FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás) no campo de Golfinho. Já no Parque das Baleias operam quatro plataformas, todas do tipo FPSO, que estão interligadas a 44 poços produtores e 21 injetores produzindo no pós e no pré-sal.

A produção offshore (marítima) é marcada pela produção de gás natural, óleo pesado, óleo leve e operações tanto no pós quanto no pré-sal e em profundidade de água que varia de 70 a mais de 1.600 metros.

Produção de gás 

A companhia conta, no estado, com duas Unidades de Tratamento de Gás (UTG) que, juntas, fornecem, diariamente, mais de 8 milhões de m³ de gás natural especificado para uso residencial, industrial e veicular, mil toneladas de gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, e 550 m³ de gasolina natural, matéria prima da indústria química. Essa produção é destinada ao mercado do Espírito Santo e o excedente é enviado para outras regiões do país.

Inaugurada em 2006, a Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), localizada em Linhares, é um dos maiores polos de processamento de gás do Brasil e é responsável pelo tratamento de gás oriundo tanto dos campos terrestres no estado como de campos marítimos.

Resultado de imagem para Unidade de Tratamento de Gás Sul Capixaba (UTGSUL)Primeira unidade a processar e entregar gás natural do pré-sal no Brasil, a Unidade de Tratamento de Gás Sul Capixaba (UTGSUL), em Anchieta, foi inaugurada em 2010. Essa unidade recebe e processa gás dos campos de produção marítimos do litoral sul do estado.

Terminais 

A Transpetro é responsável, no estado, pela operação de três terminais aquaviários, além de gasodutos e pontos de entrega de gás natural. Localizado em Barra Nova, São Mateus, o Terminal Norte Capixaba (TNC) é responsável pelo escoamento do petróleo que a companhia produz em terra no norte do Espírito Santo, que chega ao terminal por meio de oleodutos.

Pelo Terminal de Barro do Riacho (TABR), em Aracruz, a companhia escoa gás liquefeito de petróleo (GLP) e a gasolina natural produzida na Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas.

Dentro do Complexo Portuário de Tubarão, está localizado o Terminal Aquaviário de Vitória. Nessa unidade, a companhia recebe e armazena gasolina, óleo diesel (S-10 e S-500) e combustíveis para navio que abastecem o Espírito Santo, além de localidades do leste de Minas Gerais e do sul da Bahia.

Unidades de suporte 

Resultado de imagem para petrobras CapixabaAlém das unidades de operações instaladas no Espírito Santo, a companhia mantém no estado unidades de suporte operacional, responsáveis por processos como tecnologia de informações e telecomunicações, aquisições de bens e serviços, jurídico, transportes, administração predial, segurança, recursos humanos, comunicação e responsabilidade social.

Novos Projetos 

A Petrobras planeja investir US$ 2,5 bilhões nos próximos cinco anos em atividades no estado, com a perfuração de novos poços e com a entrada em operação de uma nova plataforma no Parque das Baleias.

Ainda em 2017, está em andamento a conclusão de um novo poço no campo de Golfinho, interligado ao FPSO Cidade de Vitória com produção estimada de 11 mil barris por dia a partir de outubro.

A partir de 2018, novos poços nos campos de Baleia Azul e Cachalote devem entrar em produção após serem interligados a plataformas já instaladas e em produção.

A empresa também atua em um grande projeto denominado Integrado Parque das Baleias, com previsão de início de produção em 2021. O objetivo é interligar 22 poços do pós e do pré-sal dos campos de Jubarte e Cachalote a uma nova plataforma, do tipo FPSO, com capacidade de produção de 100 mil barris diários de petróleo e 4 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

Principais Marcos 

1957: Primeiras equipes exploratórias chegam ao Espírito Santo

1959: Perfurado o primeiro poço terrestre

1967: Primeira descoberta de petróleo em terra

1968: Perfurado o primeiro poço marítimo da Petrobras no Brasil

1977: Descoberto petróleo no mar a 7 km da costa de São Mateus

1984: A produção no Espírito Santo alcança 24.984 barris de petróleo por dia

1986: Perfurado o poço 1-ESS-64, primeiro no estado, localizado no norte da Bacia de Campos e em profundidade de água de 794 metros

1999: Perfurado o primeiro poço em águas profundas no estado.

2000-2005: Descoberta do campo de Jubarte, três novos campos no Parque das Baleias, óleo leve no Campo de Golfinho e no pré-sal no campo de Caxaréu.

2006: Entram em operação Terminal Norte Capixaba (TNC), plataforma de Peroá,Polo Cacimbas, Estação Fazenda Alegre e os campos marítimos de Golfinho e Jubarte

2008: Início da produção de petróleo da camada pré-sal no Brasil, no campo deJubarte

2012: 1º FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo) exclusivo para operação do pré-sal no Brasil - Parque das Baleias (FPSO Cidade de Anchieta)

2014: FPSO P-58 inicia operação de óleo e gás natural em poços do pós-sal e do pré-sal

2016: Recorde anual de produção de óleo, LGN e condensado da Unidade Operacional do Espírito Santo, com 371,8 mil barris por dia.