WHAT'S NEW?
Loading...

A chinesa State Grid avalia participar de próximo leilão de transmissão

Imagem relacionada

A State Grid Brazil Holding, subsidiária da empresa chinesa que atua no segmento de transmissão no Brasil, está realizando análises visando a potencial participação da empresa no leilão de novos empreendimentos de transmissão, previsto para dezembro, afirmou o vice-presidente da empresa, Ramon Haddad. “É cedo para tomar decisão, mas já iniciamos estudos para ver se vamos participar de algum desses lotes”, disse a jornalistas, no intervalo do evento Brazil Energy Frontiers, que acontece nesta quarta-feira, 20, hoje, em São Paulo.

A companhia não participou do último leilão de transmissão, realizado em abril, o que surpreendeu parte do mercado. Haddad afirmou que a ausência do grupo se deveu ao momento do certame e da companhia. “Naquele momento, vários projetos estavam sendo iniciados… o momento não era adequado. Este será em dezembro, em outro momento, vamos ver se teremos condições de participar”, afirmou.

Dentre os projetos em andamento, o executivo destacou o início da construção do segundo bipolo de transmissão de Belo Monte, uma linha de 2,5 mil quilômetros de extensão, cuja construção está para começar. “A licença de instalação foi emitida, a mobilização está intensa”, disse. Segundo ele, o projeto foi dividido em 10 trechos, para poder dar um impulso maior para as obras.

Além dessa linha, a State Grid também participa na concessionária responsável pelo primeiro bipolo de transmissão de Belo Monte, um projeto que vem enfrentado dificuldades. “Estamos com alguns problemas que não nos dizem respeito… O governo está nos ajudando para ver se elimina essas dificuldades, mas as obras estão em fase de finalização”, comentou, referindo-se a protestos que afetaram o andamento das obras e levaram o governo a liberar o apoio da Força Nacional.

Por contrato, a linha precisa iniciar operação comercial em fevereiro de 2018. “A previsão é que consiga manter compromisso: entrar no final deste ano ou começo do ano que vem. Vamos ver se consegue antecipação, se conseguir destravar empecilhos talvez consiga”, disse Haddad.

Aquisições

Questionado sobre a possibilidade de a State Grid adquirir a participação da Eletrobras neste projeto do primeiro bipolo, Haddad disse que não tem conhecimento sobre qualquer conversa nesse sentido. Ele também disse que a empresa ainda aguarda a definição do modelo a ser adotado pela estatal para a venda de participações minoritárias em outros empreendimentos de geração. “A Eletrobras não deve lançar a venda das minoritárias em separado, tem de esperar definir para ver como vamos agir”, disse.

Haddad reiterou que a State Grid sempre avalia todos os ativos ofertados ao mercado e indicou que o grupo chinês também deve avaliar as distribuidoras de energia hoje operadas pela Eletrobras e que devem ser privatizadas até o fim do ano. Perguntado sobre a possibilidade de disputar as usinas da Cemig, o executivo disse, porém, que no caso dos leilões de ativos de geração, a eventual participação do grupo é decidida diretamente na China.