WHAT'S NEW?
Loading...

Ex-diretor da Eletronuclear pediu anulação de leniência

Imagem relacionada

Nas alegações finais do processo em que é réu por cartel em licitações da Usina de Angra 3, a defesa de Pérsio José Gomes Jordani pede que seja anulado o acordo de leniência entre a Camargo Correa e o Ministério Público.

O documento foi entregue na última semana ao juiz Marcelo Bretas, responsável pela primeira instância da Lava-Jato no Rio.

O acordo permitiu que os procuradores aprofundassem as investigações sobre o cartel entre concorrentes que fraudou as licitações feitas para a montagem eletromecânica da usina, ocorrida entre 2013 e 2014.

A defesa pede que sejam “declarados inconstitucionais, por controle difuso de constitucionalidade, os acordos de colaboração e leniência, em razão da violação ao princípio da estrita legalidade administrativa…”

Os advogados também dizem que “a palavra dos colaboradores e lenientes está inteiramente desacompanhada de documentos e quaisquer outros elementos que comprovem”.