WHAT'S NEW?
Loading...

Retomada de investimentos dá o tom do primeiro dia da Brasil Offshore 2017

Resultado de imagem para Retomada de investimentos dá o tom do primeiro dia da Brasil Offshore 2017

Começou na terça-feira (20) a nona edição da feira e conferência internacional Brasil Offshore – realizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado em parceria com o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e a Society of Petroleum Engineers (SPE) -, que vai até esta sexta-feira (23) em Macaé. Na cerimônia de abertura, autoridades e entidades do setor afirmaram que é necessário retomar os investimentos antes das três rodadas de licitações de blocos exploratórios previstas para o segundo semestre. A 14ª rodada para as áreas do pós-sal será no dia 27 de setembro, com oferta de 287 blocos.  Especialistas afirmam que o acontecimento irá estimular os investimentos estrangeiros no Brasil.

“Os fatos comprovam a retomada do desenvolvimento econômico no setor de Oils & Gas.  A agenda política para o setor está caminhando e, em breve, teremos as rodadas. Nossa estimativa é fazer R$250 milhões em negócios durante os quatros dias da feira, que acontece num momento estratégico para alavancar o setor. Só com investimento será possível driblar a crise”, disse Paulo Octavio, vice-presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado.

Estiveram presentes na solenidade João José de Noro Souto, secretário adjunto de Petróleo, Gás e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia; Antônio Guimarães, secretário adjunto do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustível (IBP); Guilherme Castro, presidente da SPE Macaé Section; e o prefeito de Macaé, Aluízio Júnior.

“Depois de anos de debates sobre o avanço da agenda do petróleo, finalmente temos o sinal de que as empresas vão retomar os investimentos. O Brasil é o país que tem o maior potencial para desenvolvimento deste mercado no mundo. Então precisamos destravar a indústria e nos preparar para o futuro”, afirmou Antônio Guimarães, do IBP.

Para Noro Souto, do Ministério de Minas e Energia, “Os investimentos na Bacia de Campos são fundamentais para o estado do Rio e para o Brasil. O Governo Federal e o Ministério de Minas e Energia estão fomentando a continuidade da exploração”.

Programação da Brasil Offshore conta com palestras, conferências e rodadas de negócios
A primeira conferência da nona edição da feira foi sobre “Revitalização dos campos”, com foco no imediato crescimento da indústria de Óleo e Gás. Segundo o palestrante Alejandro Duran, presidente da Schlumberger Brasil, é preciso fazer incentivos à exploração em curto, médio e longo prazo.

“Primeiramente, é necessário investir nos campos que já existem. Uma única sonda pode gerar mais de mil empregos, e empregos qualificados, já que os profissionais do setor têm um alto conhecimento técnico. A média salarial é quatro vezes maior que a média brasileira ”, disse.

Serão ministradas diversas conferências técnicas para os visitantes da feira. O intuito dos encontros é oferecer espaço para dialogar sobre as oportunidades do setor e apresentar as mais recentes tecnologias, produtos e serviços que beneficiarão o mercado. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas durante o credenciamento do evento.

Para conferir a programação completa das conferências, acesse o site da Brasil Offshore: http://www.brasiloffshore.com/Conteudo-de-Negocios/Conferencia/Programacao/

 Encontros estimulam a competividade no setor

As tradicionais Rodadas de Negócios acontecem paralelamente à feira. Entre as empresas âncoras confirmadas estão a Air Liquide, Alphatec, Baker Hughes, BW Offshore, Estaleiro Mauá, Forship, Huisman, NUCLEP, Petrobras UO-BC, Porto do Açu, Queiroz Galvão, Shell, Sotreq, Subsea7, TechnipFMC, Transpetro e Tridimensional.

Os encontros serão realizados por três instituições especializadas em aproximar compradores e vendedores: a Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) com o apoio da Reed Exhibition, organizadora da feira.

Os encontros visam reunir as empresas-âncoras com pequenos e médios fornecedores regionais para estreitar relacionamentos e fomentar negócios. Em 2015, as rodadas geraram R$ 222,5 milhões em expectativas de negócios durante os doze meses seguintes.