WHAT'S NEW?
Loading...

44 indústrias aguardam acesso a gás natural em Santa Catarina

Resultado de imagem para acesso a gás natural em Santa Catarina

O crescente interesse de indústrias para usar gás natural em Santa Catarina dá indícios de que o pior da crise já passou. A SCGás, concessionária de distribuição de gás natural no Estado, fechou contrato de fornecimento com 44 indústrias e acredita que este ano conseguirá efetuar a ligação da maioria, 32 pelo menos. Essas novas clientes vão elevar em cerca de 3% o consumo industrial do Estado, que está em 1.169.085 metros cúbicos e responde por cerca de 80% do total, informa o presidente da companhia, Cósme Polese.

Essas ligações estão sendo possíveis porque não são empresas termointensivas como as de revestimentos cerâmicos do Sul do Estado e outras. É que SC tem uma limitação na oferta de gás porque compra do Gasbol pouco mais de 2 milhões de metros cúbicos e quase tudo já está comprometido. A recessão derrubou apenas 3% do consumo do produto no último ano. A expectativa é de que outros fornecedores entrem no setor para suprir a limitação do gasoduto boliviano.

Atualmente, a SCGás tem entre os clientes 230 indústrias, mais de 300 usuários comerciais, cerca de 10 mil residenciais e 91 mil veículos que utilizam Gás Natural Veicular (GNV).

Tarifa cai 24%

Imagina que nem todos distribuidores e clientes viram que a tarifa do gás natural em SC caiu, em média 23 este mês. Então, para esclarecer melhor isso, o governador Raimundo Colombo e o presidente da SCGás, Cósme Polêse chamaram para uma reunião hoje. SC já tinha a tarifa industrial mais barata do Brasil e agora ficou ainda mais baixa. Para a indústria, a queda alcançou 24,8%, ao segmento comercial 15,45%, para as residências, 11,62% e para o gás natural veicular (GNV) a queda foi a maior, 24,98%. O que a SCGás espera é que os preços nos 130 postos também caiam. Aliás, segundo a empresa, quem opta por GNV gasta de 50% a 60% menos do que a gasolina.

Inovação com redes locais

Para atender regiões mais distantes, que aguardam há muitos anos a chegada do gás natural, mas ainda não foi possível acessar com gasoduto, a SCGás vai adotar um modelo de redes locais, atendidas com gás natural liquefeito, a exemplo do que faz Portugal. Ontem, encerrou o prazo de consulta pública. A Assembleia vai criar esse segmento e 60 dias e, depois, poderá ser iniciada a instalação. Entre as cidades que receberão redes locais estão Lages, Sombrio, Mafra e Rio Negrinho.






Fonte: Diário Catarinense